Ajude

Menu Ajude

Programa Educação Integral

.

Programa Educação Integral

“Educar para libertar”

Nomenclatura anterior: Programa Prevenir
Total de alunos: 400

 

Crianças e jovens do Colégio Integral Solar, do Solar Meninos de Luz, vivem nova dimensão educacional, através de experiência político-pedagógica de interação e compartilhamento, desenvolvedora de capacitações para livres reconstruções pessoais da alma, da vida, do conhecimento, do mundo.

Participam de um modelo de educação holística, portanto, integral e humanitária, desde os primeiros meses de vida, do Berçário ao término do Ensino Médio.  Seu superior objetivo é instigar nos alunos, a busca da felicidade e do bem-estar através de sua autodeterminação consciente: para si próprio, sua família e a comunidade.  Amar-se, se auto superando para conquistar formação universitária e bons empregos futuros no mercado de trabalho.

Aprendem a fazer, fazendo, recriando e, com ações solidárias, plenas de responsabilidade social, assimilam paz e justiça social, que levarão ao mundo.

A educação no Solar quer formar homens de Bem.

Educar para Libertar: Objetivos
  • Resgatar da exclusão social crianças e jovens vítimas de meio social desarmônico das Comunidades do Cantagalo, Pavão-Pavãozinho, possibilitando que se construam como seres integrais pelo desenvolvimento de processos internos e externos de superação do ambiente e lhes oferecendo condições de equalização em relação às crianças do asfalto pela justa competição por bons empregos e vagas em universidades.
  • Desenvolver um modelo de educação holística, preventiva, interativa, oferecida dos 3 meses de idade aos 18 anos, que prioriza a expansão de autodescobrimento, consciência crítica, autonomia, esperança no futuro e direciona para a adoção de hábitos contrários à miséria, violência, corrupção, dependência química e assistencialismo, levando ao bem –estar, à paz e à justiça social.
Princípios filosóficos de Educação
  • Visão holística do educando compreendido como ser integral: corpo e espírito.
  • Pedagogia do Amor e da Fraternidade, transformadora de vidas, numa Escola pensada como espaço afetivo e protetor para construções de saberes, boa convivência humana, saudáveis princípios e hábitos de vida.
  • Diretrizes inspiradas em valores morais cristãos:  amor, verdade, respeito, humildade, solidariedade, esperança, fé, pacificação.
  • Desenvolvimento de atividades multidisciplinares e metodologias mistas com foco na interação e transversalidade baseados no Construtivismo (Jean Piaget, Emília Ferreiro), Paulo Freire (linguagem político-pedagógica), em Carl Rogers (oportunidades da descoberta de si mesmo, contato com a realidade) e visão holística de educação e psicologia.
  • Permanente busca de adequação ao mundo real do séc. XXI, com inclusão de tecnologia digital e tablets, a partir de 2016.
  • Desenvolvimento dos 4 pilares da Educação: Aprender a conhecer, aprender a ser, aprender a  conviver, aprender a fazer, de acordo com o Relatório da UNESCO, pela Comissão Internacional de Educação para o séc. XXI.
  • Fortalecimento da família por oportunidades diversas de envolvimento com o processo educativo do Solar Meninos de Luz (“Escola de Pais”, encontros, avaliação conjunta familiar pela relação filhos-pais-escola).
  • Investimento na formação cognitiva (cultura, conhecimento), moral (sentimento, amorização), artística (criatividade, sensibilização), esportiva (espírito de equipe, respeito às regras, aprimoramento físico), saúde (cuidados médicos e odontológicos, psicológico, fonoaudiológico, boa nutrição e esportes) e técnica (profissionalização e tecnologia digital).
  • Prevenção: freagem na replicação de comportamentos desorganizadores da personalidade e, por extensão, da sociedade, educando para a vida na construção crítica de sua própria identidade.
  • Busca de equanimidade social: oportunidade de estudos superiores e empregos futuros.
  • Despertamento da responsabilidade social através de projetos em serviços voluntários na Comunidade ou em instituições sociais e no próprio Solar como protagonistas que se tornem agentes transformadores da família e da comunidade, gerando progresso, bem-estar e paz social.
  • Fortalecimento da família por oportunidades diversas de envolvimento com o processo educativo do SML.
  • Métodos exigentes de avaliação do aluno, mas compreensivos: disciplina, esforço, responsabilidade. Metodologia inclui auto-avaliação pelo aluno.
  • Avaliação da família pela relação filhos – pais – escola.
  • Integração e inclusão: aluno/família/comunidade/Solar Meninos de Luz/Mundo externo – através de ações interativas.
Processo de Seleção dos alunos no Colégio Integral Solar; Prioridades

Seleção –  Anualmente, na 2ª semana de novembro para turmas de Berçário I,  há inscrições e entrevistas com famílias e estudos de caso de cada inscrito. Preferencialmente são selecionados entre os filhos de famílias com maiores percentuais de risco social, com a finalidade de cercear a replicação na próxima geração,  de hábitos e atitudes contrários à felicidade dos grupos familiar e social.

Anúncio da seleção: Escrito em cartazes espalhados pela comunidade e portões do Solar.

Há 20% das vagas ocupadas por encaminhamentos da Secretaria Municipal de Educação, por Lei.

Matrículas para outros segmentos escolares apenas no caso de abrirem vagas e com o estudo do boletim escolar, além de sua adequação às prioridades.

Prioridades

1º) Residência nos morros do Pavão-Pavãozinho, Cantagalo;
2º) Filhos de adolescentes, especialmente as sem família;
3º) Filhos de famílias desestruturadas em risco de replicação dessa desorganização pessoal e social;
4º) Atendidas essas prioridades: crianças em geral, dessas comunidades.

Estratégia de Profissionalização
  • Educação Integral do Solar permite sua entrada em quaisquer Universidades e bons empregos, pela característica de fácil adaptação devido à multidisciplinaridade de seus estudos e experiências político-pedagógicas em 10 horas diárias por longos anos. Será uma pessoa polivalente que poderá ser treinada em diversas funções nas empresas.
  • Oficinas Culturais, de Artes e Esportes são preparatórias para escolhas profissionais e/ou que garantam renda durante curso superior. Exemplo: Informática, Inglês, Teatro, Dança, Música, Futebol, etc.
  • Talentos podem ser encaminhados para aperfeiçoamento em clubes esportivos, academias de dança, etc.
  • Cursos profissionalizantes de nível médio geram empregos futuros. Ex: ACD – Atendente de Consultório Dentário, Administração (Jovem Aprendiz).
  • Os cursos se expandirão conforme projetos aprovados e patrocínios. Por exemplo, no Teatro: Sonorização, Figurinos, Iluminação.
PROGRAMA DE EDUCAÇÃO COMO PLANO PILOTO DO SOLAR
  • Educação universalista, humanista; preventiva.
  • 10 horas diárias de aula.
  • O aluno pode permanecer no Solar dos 3 meses aos 18 anos (Berçário ao Ensino Médio).
  • Estudos propedêuticos para a entrada em universidades e empregos.
  • Três refeições diárias.
  • Atendimento no Centro Solar de Bem-Estar: médico, odontológico, psicológico e fonoaudiológico, terapias florais de Bach, fornecimento de medicamentos.
  • Funciona como uma universidade: matérias seletivas e obrigatórias, com orientação da equipe pedagógica.

 

Quer conhecer o atendimento no Centro Solar de Bem–Estar? Clique aqui e saiba mais.

AÇÕES – COLÉGIO INTEGRAL SOLAR (CIS)

Todas as ações de Educação Integral especificadas abaixo estão ligadas ao processo ensino-aprendizagem do CIS, sob direção da equipe pedagógica, havendo interação entre todos os segmentos.

1º) Educação Formal

Do Berçário I ao Ensino Médio busca-se progressiva unidade através de processos pedagógicos e interativos entre todos os segmentos

  • Educação Infantil: Creche (Berçário I e II, Maternal I, II e III) e Pré-Escola (I e II)
  • Ensino Fundamental I: 1º ano ao 5º ano
  • Ensino Fundamental II: 6º ano ao 9º ano
  • Ensino Médio: 1º ao 3º ano
  • Atividades complementares: Oficinas, projetos, aulas.

2º) Educação Complementar

São realizadas pelo SEC – Setor de Educação Complementar – dirigido pelo CIS  e realizado em todas as Unidades Operacionais do Solar.

– Teoria musical; Coral; Instrumentos (violino, violoncelo, violão, cavaquinho, flauta)*; Percussão; Balé; Sapateado; Hip Hop; Dança de Salão; Teatro; Informática; Estudo Dirigido; Inglês; Reforço Escolar; Atividades de Biblioteca; Moral-Cristã; Artes Plásticas e Artesanato; Xadrez; Capoeira; Judô, Futsal, Voleibol, Basquetebol; Yoga; Grupo Coexistência; Grupo Criança em Movimento, e outros cursos não regulares: Fotografia, vídeos, etc.
– Cursos Profissionalizantes em nível médio de Técnicas Administrativas e ACD – Atendente de Consultório Dentário**.

*OBS 1: Projeto de Escola de Música foi aprovado pela Lei Rouanet. No momento, aguardando patrocínios.
**OBS 2: Cursos e Técnicas Administrativas antes ministradas pelo SESI e parado em 2015 voltará em 2016 pela Fundação Roberto Marinho. Curso de ACD dirigido pelo odontólogo e professor de Odontologia Ricardo Aguilar, da Clínica Vittalis.

3º) Apresentações e interatividade

As atividades buscam constante interatividade pelas trocas sociais e construção de capacitações e laços afetivos.

– Visitas a espaços culturais, formação de platéia (peças teatrais, exposições na Galeria de Arte), ensaios com outros grupos, oficinas partilhadas com alunos da comunidade; jogos de vôlei, futsal, etc. Com grupos de outras escolas, outras Comunidades e grupos internacionais que buscam o Solar.
– Apresentações artísticas e pedagógicas tanto pelos alunos das oficinas do Solar como de grupos profissionais externos em nosso Ponto de Cultura: Teatro, Galeria de Artes, Biblioteca, Centro de Artes Plásticas e Artesanato, Centro Musical e Sala de Dança e Multimeios.
– Participação no Projeto “Meninos Solidários”: dentro e fora da Comunidade.
– Participação no Projeto Intercâmbio Cultural: viagens e permanência de alunos com famílias de outros países. Antes os alunos recebem aulas intensivas de inglês.

Projeto Meninos Solidários

É a contrapartida dos alunos para a sociedade, que lhes oferece chances evolutivas surpreendentes em trabalhos de voluntariado. Foi criado em 2004 ao observarmos que, apesar de toda a conscientização, eles não acreditavam que através do próprio crescimento poderiam influir na melhoria de pessoas e situações, sendo esse o escopo do Programa Educação Integral. Na época, a pedido dos pais, criou-se o subprograma Famílias Solidárias, com os pais acompanhando as crianças nas visitas, participando de campanhas de alimentos e roupas. Também pediram para levar seus outros filhos, que não são matriculados no Solar, para eles “aprenderem o que é a vida”.

Em 2016, o voluntariado infanto-juvenil é objeto de múltiplos projetos político-pedagógicos e torna-se item de pontuação avaliativa: os alunos têm o compromisso de doar 30 horas anuais no projeto.

Objetivos

  • Despertar nos alunos do SML a consciência de responsabilidade social, com partilha de tempo, saberes e bens materiais, para cooperação em trabalhos de ajuda ao próximo.
  • Efetivar valores nobres da alma como amor, compaixão, fraternidade e solidariedade em campanhas e ações sociais na escola, na comunidade e fora dela.
  • Aumentar a auto-estima, pela superação de estigmas e preconceitos, ao promoverem mudanças sensíveis através de sua presença e ações positivas em orfanatos, abrigos de menores, asilo de idosos, hospitais pediátricos, nas creches comunitárias e em famílias desassistidas do Pavão-Pavãozinho e Cantagalo, além de no próprio Solar.
  • Treinar atividades cooperativistas para prepará-los para liderar projetos benéficos às mudanças sociais da própria comunidade, quando saírem do Solar, refletindo as conquistas efetuadas no seu processo educativo e cultural.

Ações

Todas as ações são orientadas por equipes pedagógicas

  • Aprender a organizar, coordenar e executar pequenos projetos de ação social em instituições assistenciais, desde a pesquisa à execução.
  • Confeccionar em suas aulas, com material reciclável, presentes para os internos, como bijuterias, brinquedos, objetos de adorno, cartões, cartas, etc.
  • Levar grupos de dança, coral, instrumentos musicais, percussão, teatro, capoeira, etc., para as instituições que o permitirem.
  • Nas instituições com crianças, promover gincanas, brincadeiras, jogos, contação de histórias, ensinar desenho, pintura e pequenos artesanatos.
  • Nas visitas a idosos, fazer encontros de terapia ocupacional em artes plásticas, artesanatos, dança, lanche, levando todo o material.
  • Na comunidade, levar à residência da mãe grávida em situação de carência, enxoval para recém-nascido (confeccionado no Lar Paulo de Tarso e oferecido por doadores), com cartas e cartões de boas-vindas e prece ecumênica pela criança e pela família; às famílias necessitadas levar alimentos, roupas, brinquedos.
  • No próprio Solar, ajudar em seus horários vagos, como voluntários para brincar e cuidar de bebês, ensinar artesanatos, danças e músicas para os da Pré-escola e ensinar matérias escolares aos mais atrasados nelas.
  • Integrar todas as séries para ajudar num único trabalho efetuado por um grupo, aprendendo cooperatividade e desinteresse pessoal. Ex: Manufaturar presentes, fazer um bolo, biscoitos, fazer campanhas de roupas e alimentos para as pessoas a serem visitadas pelo outro grupo.
Metas a partir de 2016
  • Fundação da Escola de Música Meninos de Luz, aprovada pela Lei Rouanet em 2015 e em processo de busca de patrocínios e parcerias para maior desenvolvimento das Oficinas Musicais.
  • Volta dos cursos de Técnicas Administrativas (pela Fundação Roberto Marinho) e ACD-Atendente de Consultório Dentário -por Ricardo Aguilar, professor de Odontologia.
  • Prosseguir no aperfeiçoamento progressivo de tecnologias digitais e em projetos interativos no Fundamental II e Ens. Médio.
  • Organização no Teatro Meninos de Luz de Seminários em Educação para o Séc XXI, realizado  por educadores especializados do Solar e de convidados, dirigido ao público de educadores e demais interessados, de dentro e de fora da Comunidade.
Projeto Intercâmbio Cultural

O Solar Meninos de Luz atrai naturalmente grupos e instituições estrangeiras que buscam exercer solidariedade em projetos pontuais nas dependências do Solar, como apresentações musicais, jogos esportivos com nossos alunos, pequenas obras como pintura de nossas casas, melhorias nas quadras esportivas, etc; doações de presentes no Dia de Natal, Dia das Crianças, entre outras nobres realizações.

Têm possibilitado às nossas crianças e jovens o rompimento de cordões de isolamento e cercas sociais que impedem a livre conexão entre asfalto, Comunidade e povos de outras terras.

Mas faltava ao aluno do Solar romper a última barreira da exclusão: ele próprio viajar para interagir com esses povos irmãos, morando em seus lares, conhecendo seus hábitos e culturas, seja na Califórnia, África do Sul, Malta, Polônia,… onde for! Cursar, por exemplo, o 3º ano do Ensino Médio na Springfield High School em Ohio, EUA, ou participar de Projetos de integração com adolescentes de várias partes do mundo, reunidos na Polônia, juntos cantando e dançando músicas de seus países.

Não falta mais. Desde 2011, nossos alunos têm a oportunidade de fazer intercâmbio internacional e, sobretudo, fazem amigos, com quem passam a se corresponder por redes sociais.

Objetivos

  • Demolir muros de separatividade e diferenças raciais entre crianças e jovens nas comunidades do Cantagalo, Pavão-Pavãozinho e os de outras terras.
  • Construir a consciência de equidade social e solidariedade entre os povos levando mobilização de ações conjuntas para o progresso comum.
  • Promover nos alunos sentimentos de autoestima, confiança e superação de obstáculos pessoais e sociais : “Eu posso!”, “Eu consigo!”, “Eu mereço!”
  • Otimizar o estudo do Inglês, falado em todo o mundo, para facilitar a interação.

Instituições parceiras promotoras do intercâmbio e suas ações no Solar

O SML agradece às valorosas instituições abaixo pelos projetos realizados.

De 2007 a 2008: ROBERT CRITES.
De 2003 a 2007: Bridge Linguatec  – Curso de idiomas.
De 2011 a 2014: Edu Pro Raizes – Curso de idiomas e intercâmbio.
De 2014 a 2016: Mais Caminhos (Brave Kids e Brayce Program) – Curso de idiomas, intercâmbio, atividades complementares com aulas de Informática, reforço escolar e inglês pra crianças do Projeto Manjedoura, Programa Família / Comunidade.

Forma de seleção dos alunos

São escolhidos anualmente, de 1 a 6 alunos, entre os que tenham apresentado melhor rendimento escolar, os que mais se destacam nas oficinas de conversação inglesa e que sejam disciplinados. Os que vão para a Polônia precisam ter gosto pelas artes, teatro, música, pois ensaiam números para serem apresentados para todos os intercambistas de várias partes do mundo, como uma troca de culturas.

O Programa recruta jovens estudantes de comunidades com forte conhecimento em inglês, personalidade contagiante, bom senso de humor, entusiasmo, senso de aventura, experiência em trabalhar com crianças e envolvimento em projetos sociais.

Número de alunos encaminhados

Total: 21 (de 2007 a 2016).
Em 2016 estão selecionados 6 alunos que viajaram em junho.

RESULTADOS EM EDUCAÇÃO

Alunos em universidades e empregos!

Todos os alunos formados trabalham e/ou estudam. Quase a totalidade dos formandos no Ensino Médio a partir de 2006 (1ª turma) estudou em universidades ou as estão cursando. Alguns fazem os cursos superiores após um período de trabalho profissional, havendo os que os realizam concomitantemente.  Todos estão empregados e muitos em grandes empresas.

Alguns casos de sucesso

  • Vinicius da Silva Ferreira, Administração, Faculdade Santa Úrsula; trabalha no Programa Jovem Aprendiz na Construtora MDL Planejamento e construções.
  • Manuella Bacelar da Silva, Relações Internacionais, Universidade Estácio de Sá; fez Intercâmbio para Capetown, South Africa em 2012; trabalha como estagiária no Jornal Tribuna, Dunbary Connecticut – EUA.
  • Stheffany Chagas da Silva, Turismo na Universidade Cãndido Mendes; trabalha como operadora na empresa SoulTraveler Viagens e Turismo.
  • Thaís Fernandes Caldas, Direito, Universidade Veiga de Almeida; trabalha como estagiária na Procuradoria Geral do Estado na área jurídica
  • Tatiani do Nascimento Maciel, Administração UniverCidade/Gama Filho; aprovada em Concurso da Caixa Econômica Federal, trabalha no atendimento do banco.
  • David Justino dos Santos, Marketing, Universidade Estácio de Sá; trabalha na empresa Bureau Veritas, terceirizada da Petrobrás
  • Lucas Alves Gomes, Ciência da Computação, Universidade Veiga de Almeida; Fundador diretor do “Favela em Dança”.
  • Jefferson Ribeiro, Biologia, UERJ. Professor de percussão do Monobloco.
  • Jefferson Cardoso da Silva, Administração, Universidade Estácio de Sá; trabalha como Guia de Turismo local e regional no RJ.
  • Deborah Cristina Silveiro Nascimento, técnico de Radiologia na Escola Técnica de Radiologia CENIB; trabalha no atendimento do Poupa tempo Cantagalo.
  • Eduarda Leonardo Alves, Administração, Universidade Estácio de Sá; trabalha como Call Center na Atento Brasil.
  • Mariana Caldeira da Silva, Marketing, Universidade Estácio de Sá; trabalha como Agente Comercial no Banco Itaú.
  • Natan Matos de Carvalho, Administração, Universidade Veiga de Almeida; trabalha no setor de compras e licitações no Conselho Regional de Odontologia.
  • Lucas de Melo Freitas, Engenharia de Produção, Universidade Veiga de Almeida; trabalha na parte financeira na empresa 3R Studio.
  • Ronaldo Pereira Marinho Silva, Gestão e Produção de eventos, Universidade Estácio de Sá; Fundador diretor do “Favela em Dança”.
  • Jonatas de Oliveira Freitas, Administração, Universidade Veiga de Almeida; trabalha como auxiliar administrativo na clínica de Oftalmologia Bandeira de Melo.
  • Mariana Barbosa, Administração, Universidade em Malta através de Intercâmbio; atualmente na Alemanha cursando intensivo em alemão.

Alunos selecionados no Projeto Intercâmbio Cultural

  • Brena Araújo – Malta (Apoio Edu ProRaízes)
  • Camila Ferreira – Malta (Apoio Edu ProRaízes)
  • Elizabeth Pereira – Ohio, EUA. Springfield High School, 3º. Ano E.M. completo (apoio Robert Crites)
  • Jean Ckless – Malta (Apoio Edu ProRaízes)
  • Luan Machado – Cape Town – África do Sul (Apoio Edu ProRaízes)
  • Luma Araújo – Denver – Colorado, EUA (Apoio Brigde Linguatec)
  • Manuella Bacelar – Cape Town – África do Sul (Apoio Edu ProRaízes)
  • Mariana Barbosa – Malta (Apoio Edu ProRaízes)
  • Matheus Barbosa – Malta (Apoio Edu ProRaízes)
  • Matheus Lopes – Malta (Apoio Edu ProRaízes)
  • Ronaldo Marinho – Canadá (Apoio Edu ProRaízes)
  • Clara Débora Lima Barros – Polônia (Apoio Mais Caminhos / Brave Kids)
  • Nicolli Victória Ferreira Bráulio- Polônia (Apoio Mais Caminhos / Brave Kids)
  • Paola Christine dos Santos – Polônia (Apoio Mais Caminhos / Brave Kids)
  • Rebeca dos Santos Rossi – Polônia (Apoio Mais Caminhos / Brave Kids)

Alunos selecionados para 2016 (com grupos de várias partes do mundo para visita à Polônia)

Apoio: Mais Caminhos / Brave Kids

  • Rebeca dos Santos Rossi
  • Ana Clara Melo Reis
  • Anna Carolina Souza Fidelis
  • Davi Ferreira de Jesus
  • Marcos Paulo Alves Pinheiro

Para Conecticut/EUA

Apoio Mais Caminhos / Brayce Program

  • Francielle Martins de Souza

...............

...............

...............