Ajude

Menu Ajude

Programa Família / Comunidade

................

Programa Família / Comunidade

 

Ligeiro histórico: Entendendo melhor o Solar e este Programa

 

 Nomenclatura anterior: Programa Comunidade
Total de beneficiários diretos: cerca de 2850 pessoas

 

Este Programa realiza-se há 32 anos, completados em 24/12/2015 e foi o gerador e motivador de todas as ações atuais do SML, consubstanciadas nos 3 Programas. Deu origem aos outros dois Programas, ao aperfeiçoar-se para melhor atender às demandas das crianças, famílias e  Comunidade. Das primeiras visitas às famílias vítimas da tragédia da caixa d’água, com 12 mortos e destruição dos barracos, em 23/12/1983, foi montado um serviço de apoio para auxílio material, de médicos e preces na Associação de Moradores do Pavão-Pavãozinho. O trabalho evoluiu para as visitas aos lares após a saída dessas famílias do alojamento. Em seguida, a Associação nos abriu suas portas para um trabalho beneficente aos sábados pela manhã com essas famílias e com outras que iam se juntando, em grande número, inclusive com um expressivo número de crianças que atendíamos na pedra lisa que antes era localizada em frente à Associação (100 crianças e 40 mães). Ali oferecíamos Atividades de Recreação e Contação de histórias com fundo Moral-Cristão.

 

Com a posterior construção do prédio de 4 andares da Av. Pavãzinho, 51, em 1987, com o nome de “Lar Paulo de Tarso-Espaço Comunidade”, todo  o trabalho se aperfeiçoou funcionando durante a semana, com atendimentos médicos, Farmácia gratuita, Alfabetização de Adultos, Cursos profissionalizantes de Costura, Crochê, Tricô; Bordado, Grupo de Apoio às Gestantes, Evangelização Cristã Infanto-Juvenil e para Adultos, doação de cestas de alimentos, leite e outras doações materiais diversas, sopa diária distribuída para ser levada aos lares. Eram cerca de 250 crianças e 80 mães, apontando para uma filosofia de Prevenção que posteriormente educaria a criança desde os 3 meses de idade.

 

Grandes transformações ocorreram em 1991, quando o trabalho se desenvolveu para atender à demanda por creches pelos moradores da Comunidade, o que deu início ao “Projeto Meninos de Luz”, que mais tarde recebeu o título de”Programa Prevenir”, e a partir de 2015 tem a nomenclatura mudada para ”Programa de Educação Integral”, agora em amplo processo de modernização e unificação pedagógica do Berçário I ao Ens. Médio.

 

O nome Solar Meninos de Luz refere-se a toda a Instituição, com seus 3 programas de atuação, áreas e Unidades Operacionais Integradas, num total de cerca de 4.300 pessoas atendidas, anualmente (número variável).

 

Hoje, em 2016, o Programa Família / Comunidade é a continuidade daquele trabalho social realizado com as primeiras famílias, que progressivamente, foi qualificado e ampliado, com diversos grupos de voluntários do Solar (vindos do Lar Paulo de Tarso, na maioria) para visitas aos lares e novas ações sociais.

Objetivos
  •  Proporcionar, progressivamente, ao público jovem e adulto da Comunidade, com defasagem escolar, cursos noturnos para volta aos estudos formais e encaminhamentos para cursos profissionalizantes, em outras instituições com vistas à conquista de empregos, melhoria da qualidade de vida e da auto-estima pessoal.
  • Oportunizar acolhimento e transformação de vidas de algumas famílias da Comunidade em estado total de miséria e degradação social.
  • Interagir com outras instituições locais para ações e políticas conjuntas que beneficiem a Comunidade.

 

AÇÕES ASSISTENCIAIS

1- QUANTO ÀS FAMÍLIAS DA COMUNIDADE

 

Atua predominantemente junto às famílias da Comunidade que não possuem filhos no Programa Educação Integral, mas com algumas, desse Programa, quando necessário. As ações se diversificam a partir da situação familiar.

 

  • Assistência às Famílias (visitas semanais a cada lar, com preces ecumênicas, se aceitas, doações de roupas, cestas de alimentos mensais, medicamentos, encaminhamentos e/ou acompanhamentos a A.A, N.A; a hospitais, abrigos, asilos; escolas, cursos profissionalizantes, Alfabetização de Adultos, EJA – Educação de Jovens e Adultos.
    – Doações a gestantes: enxoval para recém-nascidos, leite, fraldas; orientação para o trato do bebê; a idosos: fraldas geriátricas, cadeira de rodas, etc.

 

  • Assistência no Centro Solar de Bem-Estar – em especial terapias alternativas, como Florais de Bach, Yoga, tratamento psicológico; recebimento de medicamentos gratuitos pela Farmácia Solidária; participação em campanhas de saúde realizadas ali, com vacinação, múltiplos exames, através de Feiras de Saúde (e às vezes presença da Clínica da Família da Comunidade)

 

  • Grupo “Reconstrutores de lares”: para alguns casos extremos de miséria – são realizadas nas casas obras civis (piso, pintura, fiações elétricas, encanamento para água, gás, doações de móveis, eletrodomésticos; decoração, treinamento de como viver numa casa (limpeza, arrumação, banho, cozinha, lavagem de roupa, etc). Este trabalho é realizado por um grupo de voluntários com diversos profissionais.

 

  • Projeto “Centro de Apoio Casa da Manjedoura”.

– Nova denominação da Casa da Manjedoura, por mudança de objetivos sociais.

Trata-se de pequeno sobrado pertencente ao SML, comprado e reformado por doador no início de 2010, com 91 m2 de área total e 76m2 de área útil, na região do Buraco Quente, no Cantagalo, região de extrema pobreza e vulnerabilidade social. Tem 2 apartamentos equipados para moradia, um porão e laje cercada e coberta em parte, com possibilidade de construção de outro andar.

 

De 2010 a 2015 – “Casa da Manjedoura”

Famílias muito desestruturadas mas com probabilidades de progresso social ali permaneceram nos espaços totalmente mobiliados e com toda infraestrutura por 2 a 4 anos, recebendo toda a assistência para que dali saíssem com recursos para pagarem aluguel em suas novas casas e para manutenção da vida familiar sustentada.

Para isso receberam total apoio: matrícula dos filhos no Programa Educação Integral; cestas básicas, diversas doações; orientação para volta aos estudos; para cursos profissionalizantes; para cura de doenças, encaminhamentos a hospitais, a Centros de Recuperação de dependência química; aconselhamento, psicólogos; nas visitas familiares preces e leitura do Evangelho.

Em 2015, foi transformada em Casa de Passagem, recebendo as famílias do Projeto “Reconstrução de lares”, enquanto suas casas são reorganizadas.

No total houve apoio a 6 famílias com 26 pessoas que hoje têm seus lares e famílias em melhor situação social.

A PARTIR DE 2016 – Centro de Apoio Casa da Manjedoura

Refere-se a mudanças de estratégia e objetivos originais no uso da Casa para melhor servir a maior número de pessoas do entorno. Está em processo de reorganização (julho de 2016).

Objetivo:

Acolhimento afetivo e contribuição para transformação de vidas através de ações educacionais, culturais, de recreação, educação física e valores ético-morais cristãos para crianças, jovens e adultos das cercanias da Casa.

Ações e público:

Para crianças de 8 a 12 anos matriculadas ou não em escolas públicas: Oficinas de Artes, Artesanatos, Reforço escolar em Matemática e Português; aulas de Inglês, Computação, Valores ético-morais cristãos através de contos ou parábolas do Evangelho.

Para jovens e adultos: Oficinas de Artes, Artesanato, Inglês, Computação, Educação Física, curso de T  écnicas de Administração, Valores ético-morais cristãos através de contos ou parábolas do Evangelho.

2 – QUANTO À INTEGRAÇÃO DO SML COM A COMUNIDADE E SUAS INSTITUIÇÕES

 

  • Cessão à Comunidade de espaços no Solar (Teatro, Biblioteca, Quadras esportivas, Galeria de Arte, salas, espaços abertos, etc) para reuniões ou ações comunitárias, instituições do Governo (como UPPs, Coordenação Regional de Assistência Social-CRAS, Clínica da Família, etc) e instituições civis internas e externas que apoiem a Comunidade.
  • Como Ponto de Cultura de uso comum dos moradores

Apresentações artísticas (Teatro, Dança, Música) no Teatro, exposições de Artes Plásticas e Artesanato na Galeria de Arte, Biblioteca Comunitária (contação de histórias, pesquisa, empréstimo de livros, palestras com escritores e ilustradores, etc.

  • Ações do “Projeto Volta às Aulas”:  Ensino noturno no Colégio Integral Solar

– Alfabetização de Adultos (por grupo de voluntariado do Banco do Brasil: aposentados que foram formados por especialistas em Educação)
– EJA – Educação para Jovens e Adultos: escola seriada do Fund. II e Ensino Médio (antes sob gestão do SESI, a partir do 2º semestre de 2016 pela Fundação Roberto Marinho)

  • Projeto “Criança em Movimento”, parceria com o grupo Hillel de universitários judaicos, aos domingos,na quadra do Solar, para crianças de 3 a 12 anos, com jogos, artes e múltiplas atividades de recreação (desde 2007)
  • Ações básicas de saúde e de direitos do cidadão (ocasionais):

Feiras de ações sociais: pelo Governo, por exemplo, com barracas de vendas especiais de livros; pelo Lions Clube: exames de pressão, suficiência cardíaca, glicose, com orientação e/ou encaminhamento a tratamentos; emissão de carteira de trabalho, orientação jurídica, e outros serviços.

  • Quanto à Evangelização: aos sábados de 8:30h às 11:30hPrincípios da Religião Espírita e Estudo do Evangelho para famílias da Comunidade que o desejarem e livremente comparecerem.
  • Nas salas de aula do Solar:

– “Grupo de bebês” (recém nascidos a 2a 11m)
– Evangelização Infanto-Juvenil (3 a 15 anos em vários grupos):
– Reuniões Públicas de estudos e preces para adultos e idosos
– Grupo das Jovens Mães – para mães precoces

  • No Caranguejo

– Moral-Cristã:
Para crianças: com Recreação, Artes, Contação de histórias.
Para Adultos: preces e livre discussão de fatos de suas vidas, com estudo do Evangelho.

Programa Família / Comunidade – Por que em constante transformação?

Algumas demandas da Comunidade:

(Diálogos com Iolanda Maltaroli, Presidente do SML)

Diálogo 1: (menino com arma escondida)

Tia, deixa eu entrar?
– Tá, querido. Mas sem arma.
– Tia, me arruma um emprego, pelo amor de Deus!

 

Diálogo 2: (mulher da comunidade na porta do Solar, reclamando com Iolanda)

– Não pode. Nunca pode. Não tenho profissão, tô na lama. Queria aprender também. Teatro, dançar, cantar, tocar, esse negócio de artes plásticas, capoeira, sei lá…. Só têm pra adolescente. Se tá na rua, então tá com tudo! Pra mim, com 30 anos, tá tudo fechado. Nunca tive chance. Vou morrer assim?
– Certo, vamos pensar nisso, querida.

Com a comprovação do acerto da prevenção como prioridade, além do Programa de Educação, resolvemos iniciar a materialização das demandas constantes para abrir o Solar para jovens da comunidade (fora de nossos outros programas) e para adultos, sem limite de idade. Pedem-nos não só os mesmos cursos de nossos adolescentes, mas escolas noturnas de Ensino Fundamental.  A demora do atendimento deve-se a sérios problemas financeiros do Solar.

A observação permanente das famílias mais vulneráveis permite-nos apontar como causas da miséria, da exclusão e da violência, a ausência de profissionalização, educação e cultura. Estas famílias sem apoio perpetuam a situação de adultos desempregados e jovens despreparados, impedindo a ascensão social.

De 2011 a 2016 houve grande ampliação desse trabalho, mas o Solar ainda não atende a todas as solicitações de cursos e apenas pretende reorganizar vidas de famílias dentro de suas poucas possibilidades materiais.

Metas
  1. Usar a estrutura do SEC – Setor de Educação Complementar do Programa de Educação Integral – para jovens e adultos fora desse Programa, atendendo suas demandas de Oficinas de Teatro, Dança, Música, Artes Plásticas e Artesanato na Comunidade a partir de 2016, progressivamente.
  2. Completar, a partir de 2017/2018, o Projeto “Volta às aulas” com o curso noturno de Fundamental I, além dos já em funcionamento: Fundamental II e Ensino Médio.
  3. Estruturar e colocar em funcionamento o Centro de Apoio Casa da Manjedoura em 2016  (ver aqui em Ações Assistenciais).

................

................

................