Ajude

Menu Ajude

Centro Solar de Bem-Estar

Centro Solar de Bem-Estar

Estes serviços são prestados há 32 anos. Com a denominação de Ambulatório Médico, existe desde 1984 até hoje (2016). Primeiro, informalmente, no banheiro da Associação de Moradores do Pavão-Pavãozinho. Sempre com atendimentos de enfermagem, médicos e de outros profissionais da saúde, quase sempre voluntários. Houve fases de excelente organização, o que dependeu dos recursos financeiros do Solar, sempre precários. Pertence ao Programa Família/Comunidade no setor de Assistência às Famílias, mas promove atendimento em saúde básica para os três Programas do Solar: Educação Integral; Família/Escola; Família/Comunidade.

Entender o trabalho deste Centro é compreender melhor o Solar Meninos de Luz.

Objetivos
  • Cooperar, em especial, para a melhoria da saúde biopsíquica dos alunos, seus familiares e outras famílias da comunidade, em situação de extrema pobreza.
  • Complementar os objetivos de bem-estar espiritual e social desenvolvidos em conjunto por todas as Unidades Operacionais dos três programas do SML.
Períodos de concentração de serviços e suas características
  • 1ª Fase – primórdios de 1984 a 1986 – Associação de Moradores do Pavão-Pavãozinho.
  • 2ª Fase – Criação do Ambulatório Médico – 1987 a 2001 – prédio da Av. Pavãozinho, 51.
  • 3ª Fase – Período áureo –2002 a 2009 – R. Saint Roman, 43.
  • 4ª Fase – Lento reinício – de 2010 a 2014 – R. Saint Roman, 149.
  • 5ª Fase – Nova reorganização de sucesso – de 2015 a 2016 (atual) – R. Saint Roman, 149.
Centro Solar de Bem-Estar – 5ª fase

Informações atuais

Começaremos por fornecer notícias atuais: 5ª Fase, após isso reiniciaremos o histórico: da 1ª Fase à 4ª Fase.

 

5ª Fase: 2015 a 2016 – R. Saint Roman, 149

Após o excepcional fluxo de serviços da 3ª Fase (2002 a 2009) e a lenta recuperação da 4ª Fase (2010 a 2014) – mas sem nunca interromper os atendimentos básicos, prestados pela interação com instituições parceiras, o Ambulatório Médico (denominação antiga) chega a 2015/2016 em franco progresso.

Equipe atual

  • Coordenação: Maria Alice F. de Mattos
  • Auxiliar de coordenação: Solange Ramos
  • 1 Pediatra: Dra. Suzana Penna França
  • 1 Cardiologista: Dr. Luís Antônio
  • 3 Dentistas: Dra. Mônica Cunha Cidade, Dr. Neiva Maria da Silva Salum, Dr. Ricardo Luis de Lima Aguilar
  • 1 Ortodentista: Dr. Fernando C. Albuquerque
  • 3 Psicólogos: Maria Alice F. de Mattos, Ana Maria e Roberta Valle.
  • 1 Psicopedagoga: Sideise Bernardes Eloi (Infantil e Fundamental 1)
  • 1 Terapeuta Floral de Bach: Rodrigo Mesquita
  • 1 Acupunturista: Matheus Dias Almeida
  • 2 Terapeutas de Yoga: Rui Paulo Portela e Luciana Camargo

Reorganização

Foi realizada por Solange Ramos, contratada, horário integral. Reorganizou os gabinetes, a Farmácia Solidária, a recepção, fez campanha para a compra de materiais para o consultório dentário, realiza sua esterilização, digita e orienta as consultas.

Posteriormente Maria Alice de Mattos, psicóloga, voluntária, foi nomeada coordenadora com a principal função de intermediar a equipe médica e atrair novos profissionais, em especial médicos generalistas ou pediatras, ginecologistas, clínicos gerais, dentistas, e profissional de ACD – Atendimento em Consultório Dentário.

Em junho de 2016 o Dr. Ricardo Aguillar voltará a dirigir o serviço de Odontologia, ele trará mais um ortodontista, dará consultas e trará novos equipamentos.

Número de atendimentos (ações) em todos os serviços no Centro Solar de Bem- Estar

  • Em 2015 – 1.453
  • Em 2016 (entre fevereiro e maio) – 527 sendo:
  • Pelas especialidades das equipes: 462
  • Vacinas HPV: 20
  • Doação de medicamentos: 45

 

Ações interativas para Saúde e prevenção realizadas com projetos pedagógicos e instituições parceiras (resumo).

  • Em 01/06/2015 Feira de Saúde e Cidadania nas dependências do Centro Solar de Bem-Estar, aberta a todos os moradores. Em conjunto com Lions Club Cachambi, Prefeitura, Clínica da família e voluntários. Total de atendimentos: 467
    > Medição de pressão, de glicose; acuidade visual, encaminhamentos para refração e cura de daltonismo; aplicação de flúor; vacinação contra gripe e dengue; prevenção de câncer de mama; doação de medicamentos; encaminhamentos a empregos no “Trabalho Já”.
  • Em 10/02/15 – Importância da saúde preventiva

Iniciativa: Clínica da Família: bloco carnavalesco com participação de alunos do Solar com a finalidade de conscientização da população da Comunidade.

  • Em 23/03/15 – Palestra p/ alunos e Escola de pais: Projeto do Dr. Masaru Emoto; pesquisas revelando a interação das moléculas de água com a energia: das pessoas e do meio-ambiente. (Comemoração do “Dia Mundial das águas” – Projeto Emoto pela Paz)
  • Em 15/06/15 – Intervenção educativa sobre parasitoses: – por estudantes de Medicina da UNIRIO. – exames de fezes em alunos de 6 a 11 anos. Palestra de conscientização e prevenção das verminoses (grave problema de saúde pública no Brasil)
  • Entre 03 a 26/06/15 – Situação da água no planeta; consequências da água parada: dengue, mosquito aedes aegypti. Seminário por professores e alunos do Ensino Infantil e Fundamental I. Panfletagem na comunidade. Mutirão de limpeza da horta e canteiros do Solar, plantação de mudas e sementes.
  • Em 18/11/15 – Equilíbrio do corpo e da mente:
    Oficina de Yoga: exercícios p/ alunos de 12 a 16 anos.
    Parceria: ANTARYAMIN – Centro de Yoga e Terapias.

Obs: Você quer conhecer este sério serviço em suas ações e histórico, em benefício da Comunidade? Este Centro fará também você entender melhor o Solar Meninos de Luz.

Então reinicie sua pesquisa, da 1ª Fase (1984 a 1986) à 4ª Fase (2010 a 2014).

Centro Solar de Bem-Estar – 1ª fase

1ª Fase: de 1984 a 1986 – Associação de Moradores do Pavão – Pavãozinho e pedra lisa em frente.

  • Os primórdios: – Primeiro “Consultório Médico” – no banheiro da Associação para vítimas da tragédia de 28/12/83, acolhidas no salão; vaso sanitário coberto com tábua e toalha, mais a cadeira p/ médico, outra para o paciente.

Profissionais voluntários da área médica:

  • Dr. Adhemar de Souza Gadelha, Ginecologista e obstetra que ali fazia Clínica Geral.
  • Teresa Seabra – técnica de enfermagem.
  •  Final de 1984 a 1985 – já eram cerca de 100 crianças e 40 adultos.

A Associação nos cedeu o espaço e o serviço continuou aos domingos, quando as primeiras famílias dali saíram. As necessidades de cuidados médicos, de enfermagem e assistência material eram enormes.

Yolanda fundou o Lar Paulo de Tarso – Instituição Espírita de Estudos e Assistência Social em 05/03/1985, na residência de sua mãe, Brigida Lopes Accención de Navarro Maltarolli, em Ipanema. O objetivo era dar apoio financeiro, de voluntariado e espiritual para essa obra, cujo patrono é o Apóstolo Paulo.

Com eventos promovidos pelo Lar Paulo de Tarso (LPT) e com seus voluntários Yolanda comprou uma “birosca” de 2 andares sem teto e com paredes caindo – avenida Pavãozinho, 51; construiu em 3 anos e meio um pequeno edifício de 4 andares. A cada andar construído levava para lá os serviços de assistência. (Veja 2ª fase)

Os atendimentos na 1ª FASE

  • Nessa época, impossível separar as ações de saúde e assistência social, devido aos graves problemas de miséria e doenças que nos chegavam do Cantagalo, Pavão e Pavãozinho.

1 – Consultas médicas generalistas e de enfermagem: orientação, medicação e encaminhamentos.

2 – Primeiros socorros – cura de feridas, entorses e dores.

3 – Serviços de enfermagem quanto a danos provocados por falta de higiene – exames e manutenção: pele, unhas (que eram cortadas), cabelos (piolhos), pés descalços.

4 – Encaminhamentos para cura de casos de tuberculose e contaminações.

5 – Visitas aos lares de idosos ou lesionados que não conseguiam descer o morro; ou casas em situação de miséria total e sujeira (grutas, buracos, barracos de madeira caindo aos pedaços, destelhados: consertos, limpeza, orientação para higiene da casa, roupas, alimentos, água, cuidados pessoais).

6 – Doações de medicamentos, roupas, alimentos, leite para bebês e idosos, enxovais para recém-nascidos – através de campanhas no Lar Paulo de Tarso.

7 – Reuniões na sala da Associação (antes com as famílias sentadas em colchões, depois em cadeiras). Conversa sobre seus problemas, com orientação educacional e psicológica por Yolanda. Alegria, abraços, acolhimento, reconforto através de preces e estudo de valores morais através do Evangelho. Vários voluntários ajudaram.

8 – Atendimento às crianças na pedra lisa, além dos cuidados de enfermagem: recreação (músicas, cantigas de roda, dancinhas, desenhos). Moral cristã através de contação de histórias. Realizado por Isabella Maltaroli e voluntários do LPT.

Centro Solar de Bem-Estar – 2ª fase

2ª Fase: de 1987 a 2001 – Criação do Ambulatório Médico – prédio da av.Pavãozinho,51: “Lar Paulo de Tarso – Espaço Comunidade”

As ações de saúde biopsíquica e bem-estar social continuam ligadas.

Em 1987 houve a inauguração do pequeno prédio, primeira Unidade Operacional pertencente à instituição, para assistência às famílias da comunidade. A cada andar construído, passávamos para lá o trabalho de Assistência e os ampliávamos, deixando a Associação de Moradores. Em breve tempo o local era utilizado em todos os dias da semana. E aos sábados passa a haver o estudo do Evangelho de forma organizada, para os que o desejassem.

Essa construção só foi possível pelo trabalho voluntário de um engenheiro (Dr.Lélio) que tomou conta de toda a obra, e por ser o material conseguido através de recursos financeiros advindos de  almoços, jantares, bazares, concertos de música clássica e doações de frequentadores do Lar Paulo de Tarso.

As pessoas vinham espontaneamente, do Cantagalo e Pavão-Pavãozinho, o que caracterizou a obra como espaço democrático.  Nessa época as duas comunidades eram separadas e a população de uma era proibida de frequentar a outra. Nunca houve conflitos, ninguém foi advertido ou molestado.

Logo o número de assistidos era de 250 crianças e adolescentes e 80 mães.
(Veja História)

 

O pequeno prédio:

Possuía quatro andares: com 4 salas, 6 banheiros, 1 cozinha, 1 terraço (área descoberta)

Pequeno Ambulatório Médico e Farmácia Solidária.

 

Os Primeiros Objetivos

  • Foco na família;
  • Produzir condições de saúde biopsíquica para as famílias, apoio às gestantes e recém-nascidos;
  • Complementar os cuidados de orientação moral-cristã para as famílias que o desejem.
  • Fornecer meios para melhoria da renda familiar através de Curso de Alfabetização e pequenos cursos profissionalizantes em que as mães pudessem trabalhar em casa.

A criação do Ambulatório Médico – 1987

Foram organizados por Teresa Seabra, Yolanda e voluntários do Lar Paulo de Tarso o Ambulatório Médico e a Farmácia Solidária.

As ações – 1987 a 2001

  • Cuidados de profilaxia e prevenção; Os mesmos da 1ª fase, agora ampliados. Os atendimentos médicos e de enfermagem continuaram com o Dr. Adhemar de Souza Gadelha e Teresa Seabra (Veja 1ª FASE)
  • Criação do Curso para Gestantes, por Teresa Seabra: orientação para o trato com o recém-nascido; doações de enxovais, fraldas, leite para mães e bebês, etc.
  • Por orientação do Ambulatório Médico de melhorar o nível de desnutrição foi criada a doação de sopa diária, feita na cozinha por voluntários do Lar Paulo de Tarso e alguns das famílias assistidas. Todas as tardes as famílias levavam sopas para o jantar em seus lares.

 

Ações paralelas de assistência

  • Cursos de costura; crochê, tricô, bordado, artesanato (máquinas e material comprados por campanhas no LPT)
  • Curso de alfabetização de adultos
  • Continuidade de visitas aos lares e assistência às famílias de forma geral.
  • Doações diversas: roupas, alimentos, leite, fraldas infantis e geriátricas, etc..
Centro Solar de Bem-Estar – 3ª fase

3ª FASE: 2002 a 2009 – R. Saint Roman 43 – período áureo.

Transferência do ambulatório médico

Foi transferido da Av. Pavãozinho, 51 para este imóvel, em 2002, mas que tinha sido doado em 1999.

Foco na criança a partir de 1991, no Solar

Prevenção, educação transformadora em tempo integral; a criança desde 1991 passa a ser o foco. Ela se transformando torna-se agente de transformação familiar e comunitário. Mas continuam, mais desenvolvidas, as ações junto às famílias.

Unidades paralelas ao Ambulatório Médico

  • Salas de aula do programa de Educação Integral (que havia sido criado em 1991)
  • Biblioteca
  • Centro de Artes e Artesanato (para alunos e famílias: grande desenvolvimento das oficinas de costura, crochê, tricô, bordado, artesanato).
  • Ambulatório Médico (ainda com esta denominação)

O AMBULÁTORIO MÉDICO

Objetivo geral:

  • Concretizar progressivamente o ideal de prevenção, com atenção primária à saúde, em colaboração com a equipe pedagógica e a assistência às famílias.

 Parcerias:

  • Secretaria Estadual de Saúde: verba para obras e equipamentos.
  • Jayme Cohen, empresário na França em visita ao Brasil. Possuía fábrica de materiais hospitalares. Trazido por Paulo Coelho.
  • Doações em dinheiro para pagamento a 3 funcionários do Ambulatório (Drª. Juliana Aguilar, dentista; Teresa Seabra, técnica de enfermagem, auxiliar de coordenação e trabalhos de enfermagem; Liliane Paulino – recepcionista)

Estrutura física:

  • 2 consultórios médicos (1 com mesa ginecológica).
  • 1 consultório dentário (equipado com duas cadeiras de dentista p/ atendimentos simultâneos)
  • 1 sala para Psicologia
  • 1 sala para Fonoaudiologia
  • 1 Farmácia solidária
  • 1 Enfermaria com 1 leito
  • 1 sala de recepção

Teresa Seabra, que tinha saído por motivos particulares em 2005, Foi convidada a voltar e foi nomeada supervisora. Ajudou a organizar as salas e os equipamentos médicos. Dr. Juliana, dentista, providenciou o mesmo para o Consultório dentário.

A equipe:

  • 1 coordenadora médica: Dra. Guilhermina
  • 1 ginecologista:
  • 1 clínico geral: Dr. João Batista
  • 1 coordenador de odontologia: Dr. Ricardo Aguillar
  • 1 dentista: Dra. Juliana de Lima Aguilar Fernandes
  • 1 auxiliar de consultório dentário: Liliane Paulino do Nascimento
  • 1 pediatra: Dra. Selma do Rosário Gomes
  • 1 neuropediatra: Dr. Alexandre
  • 1 psicóloga: Maria Alice F. de Mattos
  • 1 supervisora e técnica de enfermagem: Teresa Seabra
  • Vários voluntários.

As ações:

(Quase todas as ações foram realizadas com a participação de Teresa Seabra)

  1. Questionário e cadastro de todas as famílias
  2. Orientação para a criação da carteira de saúde para cada membro da família, avaliação constante da carteira.
  3. Atualização de vacinação – em especial das crianças menores.
  4. Consultas por todos os membros da equipe em hora marcada: prioridade p/ doenças infectocontagiosas e emergências escolares (às vezes com acompanhamento a hospital).
  5. Atualização e cuidados com a saúde bucal de todos os alunos.
  6. Visitas na residência do aluno para verificar o foco da situação – nos casos de reincidência, observado pelos médicos.
  7. Doação de medicamentos pela farmácia, através de prescrição de nossos médicos ou de outros, à vista da receita médica.
  8. Exames de sangue, fezes, urina e preventivo ginecológico a preços simbólicos através de parceria com o Laboratório Ferrari. O material era recolhido uma vez por semana no Solar e trazido o resultado por eles.
  9. Campanhas: do piolho, de vermes, e “lavagem das mãos”.
  10. Palestras para os adolescentes com exibição de imagens reais sobre DST (junto com a ginecologista)
  11. Supervisão nos Berçários com orientação sobre higiene de bebês e dos materiais (chupetas, mamadeiras, etc), cuidados essenciais com os bebês (a cada 3 meses).
  12. Campanha de escovação de dentes pela dentista e sua auxiliar, indo a cada turma, e orientação aos pais.
  13. Orientação aos adolescentes sobre o que é consulta ginecológica; visitas em pequenos grupos ao consultório ginecológico, explicando a importância do exame preventivo e como é realizado.
  14. “Curso para gestantes”- organizado por Teresa Seabra para as mães da Comunidade em 8 aulas sobre pré-natal, cada fase na gravidez, sexo na gravidez, hora do parto, higiene e cuidados com o recém-nascido, importância da vacinação e do acompanhamento pediátrico, arrumação do cantinho do bebê, enxoval básico (em geral doado a essas alunas).
  15. Curso de Auxiliar de Consultório Dentário – ACD, com certificado e reconhecido legalmente (gerando empregos dentro e fora do Solar)
  16. Atendimentos a casos variados, inclusive emergenciais: luxação, cólicas renais, acidentes escolares; uma tentativa de suicídio na comunidade; ferimento a bala de um pai de aluno que não pode deixar de ser atendido; trabalho para diminuir incidência de parasitas; participação em reuniões de pais com orientação para a saúde geral; orientação sobre a Delegacia das Mulheres; encaminhamento para internação ou exames específicos dos pacientes pelos médicos aos ambulatórios e aos hospitais onde trabalham.
Centro Solar de Bem-Estar – 4ª fase

4ª Fase: de 2010 a 2014 – R. Saint Roman, 179 – lento reinício.

  • Em 2010:

    – Transferência do Ambulatório Médico da R. Saint Roman, 43 para este imóvel, pela venda dessa casa em 1999, por dificuldades financeiras do Solar.

    – Visitas aos lares continuam, com assistência às famílias, agora com o acréscimo das famílias da Casa da Manjedoura, comprada e reformada por doadora, para moradia de 2 famílias de cada vez, caracterizadas como tendo possibilidades de progresso, se recebessem ajuda integral, com responsabilidade de dali saírem em 2 a 4 anos com a vida estabilizada e alugando suas casas. Início das visitas à região do Caranguejo. Todos usam aos poucos o Ambulatório.

  • Em 2011:

    – Reforma estrutural do Ambulatório para acomodação dos gabinetes em espaço bem menor, com recursos da 9ª Vara Federal Criminal.

    – Quase parado, por falta de funcionários, voluntários e recursos do Solar.

    – Atendimentos emergenciais pelos diretores do Solar e do Fundamental I, com material de Pronto Socorro e encaminhamentos.

As ações Interativas – de 2012 a 2014

O trabalho foi realizado em conjunto com parcerias.

  • Em 2012:

– Ótica Art Visão – doação de óculos.

– Laboratório Ferrari – exames clínicos a baixo custo para crianças e famíliares.

De julho a dezembro de 2012:

Realização de  6 Feiras de Saúde e Cidadania, uma a cada mês;

pelo Lions Clube Colepe (mensais) – exames de saúde diversos: pressão arterial, visão; fluor; prevenção contra gripe, dengue, câncer, etc.. Foram atendidas centenas de pessoas da Comunidade e do Solar.

– Atendimentos em visitas aos lares continuaram, pelo Grupo Manjedoura. Orientação e encaminhamento a hospitais e instituições de saúde, quando necessário,  acompanhados por voluntários.

  • Em 2013:

– “Lugar e laços” – instituição parceira – equipe de psicanalistas voluntários: atendimento aos alunos e famílias do Programa Família/Comunidade.

– Tratamentos dentários no Consultório de Dr. Ricardo Aguillar

  • Em 2014:

– Grande desenvolvimento em ações de saúde e prevenção, interativas com outras instituições.

– 05/01/14 – Bolsas de estudo para auxiliar de Saúde Bucal – Inscrições para o Solar e a Comunidade.

– 05/02/14 – Shantalaterapeuta capacita Educadores do Ensino Infantil antes da volta às aulas das crianças.

– 07/02/14 – Palestra sobre Florais de Bach com os educadores do Solar, com Rodrigo Mesquita, que já atendia alunos e famílias.

– de 19/03/14 a 18/03/14 – Vacinação contra o HPV de meninas entre 11 a 13 anos – parceria com a Clínica da Família.

– 28/03/14 a 31/03/14 – Instituto Ver e Viver- Exames e consultas; doações de armações, lentes e óculos para as Famílias do Solar.

– 05/05/14 – Ação preventiva e educativa em saúde bucal pelas dentistas voluntárias Verônica Pug e Renata Judice para crianças e adolescentes do Solar.

– 09/05/14 – Instituto Ver & Viver- pela 2º vez: Exames oftalmológicos para funcionários e toda a Comunidade.

– 03/09/14 – Instituto Ver & Viver – Exames oftalmológicos para crianças e adolescentes do Solar e orientação dobre cuidados com a visão.

– 16/09/14 – 2ª Dose da vacinação contra HPV para meninas de 11 a 13 anos. Apoio e Divulgação da Campanha da Clinica de Saúde da Família . Palestra de Dr. Werneck , diretor, na Escola de Pais do Solar.

Escovação supervisionada.
Consulta odontológica.
Consulta psicológica.

Novidades